quarta-feira, 7 de março de 2012

Como funciona nosso corpo: o sistema urinário

Para nos mantermos vivos nossas células precisam metabolizar tudo o que entra em nosso organismo transformando o ar que respiramos, um prato de comida ou um copo de suco em energia para a vida - delas e nossa.

No entanto, sabemos que nem tudo o que entra em nossos corpos é utilizado. E o que não é útil para nossas células vira lixo dentro da gente. Os nossos resíduos, são, dentre outros, a uréia, a creatinina, o ácido úrico, etc e precisam ser eliminados de alguma forma.

Parte desses resíduos, como o gás carbônico e parte da água são excretados pela respiração. Outra quantia de água e de sais é eliminada pelo suor conforme as variações de temperatura. O que comemos e não aproveitamos sai pelo sistema digestório na forma de cocô. O restante é eliminado através da urina.


Esquema representativo da função desse sistema excretor.
Imagem coletada da internet, sem citação de autor. Link aqui.

A urina é formada no sistema urinário, que é composto pelos rins, ureteres, bexiga e uretra.







As substâncias que não são mais importantes para nós e que não podem ser excretadas pelo ar expirado, suor ou fezes são jogados em nossa corrente sanguínea. É como se as células reservassem seu lixo e colocassem na rua para que o lixeiro possa recolher. Assim, o sangue passa por cada célula através dos capilares sanguíneos e captam esse resíduo, que fica circulando dentro dos vasos do corpo até chegarem aos rins.

Os rins funcionam como verdadeiros filtros. Normalmente temos 2 deles, mas podemos viver somente com 1, se este estiver em boas condições.

O sangue chega nos rins através da artéria renal. Dentro do rim, essa artéria vai se ramificando até se transformar em minúsculos capilares que se enovelam em um determinado ponto, formando o filtro propriamente dito, que começa a formar a urina. A esse novelo damos o nome de glomérulo.

Mas os capilares não terminam nesse novelinho. Eles seguem envolvendo o pequeno tubo que carrega a urina em formação e, como todo capilar, vão novamente se juntando e engrossando até transformarem-se em veia, deixando o rim através da veia renal, esta, carregada de sangue já filtrado.



Esquema mostrando o rim e uma de suas minúsculas estruturas funcionais: o néfron. O néfron contém o glomérulo, que é o novelinho de capilares onde o sangue é filtrado e o túbulo formador de urina, rodeado por capilares.
Imagem coletada da internet, sem citação de autoria.


No glomérulo então, o sangue é filtrado, passando para o túbulo formador de urina: água, resíduos e sais que estão em excesso no sangue, sendo considerados nossas excretas.


Ao longo desses túbulos, que seguem envolvidos por capilares, o nosso corpo vai inteligentemente ajustando a quantidade de sais e água. Por exemplo: se estamos desidratados (temos pouca água no corpo), não poderemos eliminar muito dessa preciosa água na urina; dessa forma, parte da água que foi filtrada para o túbulo deve ser reabsorvida pelos capilares, voltando para a corrente sanguínea. O oposto ocorre se tivermos água em excesso. O mesmo raciocínio funciona para outras substâncias úteis, ou inúteis, que passaram pelo filtro: reabsorve açúcares, proteínas e outros nutrientes úteis, ajusta o balanço de ácidos, bases e outros íons, para manter o equilíbrio que nosso corpo precisa.

Especialmente nos casos de desidratação, nosso corpo conta com um mecanismo que nos ajuda a não disperdiçarmos água. Trata-se de um hormônio chamado de vasopressina, ou anti-diurético. Esse hormônio age nesses túbulos formadores de urina e promove uma maior reabsorção de água de volta para o sangue, fazendo nossa urina ficar mais concentrada, ou seja, com menos água. Isso ajuda a não nos desidratarmos mais. O álcool inibe esse hormônio, fazendo com que eliminemos muita água na urina. Por isso é que vamos tanto ao banheiro quando bebemos bebidas alcoólicas. Uma dica, se for ingerir álcool, é que você tome também bastante água, para não se desidratar.

Quanto mais escura a urina, menos água ela contém, mostrando que precisamos nos hidratar mais.
Imagem coletada da internet sem citação de autoria.


Esse processo de balanço de substâncias entre o sangue e a urina é muito complexo e não é objetivo dessa postagem detalhá-lo aqui. Mas considero importante falar que, além do papel de filtro e de manter o balanço de substãncias importantes no sangue, o rim produz alguns hormônios, como a eritropoitina, que ajuda a regular a produção de glóbulos vermelhos e a renina, que ajuda a controlar a pressão sanguínea.

Após todo esse entra e sai de substâncias, a urina sai dos túbulos pronta, composta de praticamente 90% de água. O restante de sua composição dependerá de nossa dieta e das atividades de nossas células.

Se ela contiver grande quantidade de resíduos que possam sedimentar e empedrar, como cálcio, por exemplo, podem ser formadas pedrinhas, que, dependendo do tamanho, podem obstruir os ureteres ou machucá-los, durante o trajeto. São as famosas "pedras nos rins". Por isso é preciso controlar nossa alimentação e ingerir bastante água. Mesmo em pessoas que têm predisposição para formar as pedrinhas, ingerir bastante água pode ajudar a diluir esses resíduos, impedindo que empedrem.

Imagem ilustrativa de pedras nos rins e no ureter, obstruindo a passagem de urina.
Imagem coletada da internet sem citação de autoria.


Os túbulos vão se ligando uns aos outros até deixarem os rins já na forma de ureteres.

De cada rim sai um ureter, que segue para baixo, ligando-se à bexiga, já na parte bem baixa da nossa barriga. Lá então a urina é despejada e fica armazenada até que possa ser expelida.

A bexiga é um saco feito de músculo, capaz de se distender e se contrair. Existe um furo de saída para a urina, que é o início da uretra. No entanto, essa saída é regulada por um músculo chamado esfíncter, que rodeia o início da uretra, prendendo a urina dentro da bexiga.

Esquema mostrando o armazenamento de urina na bexiga, os orifícios de entrada dos ureteres, o orifício de saída da uretra e o músculo esfíncter.
Imagem coletada da internet sem citação de autoria.


Quando o músculo da bexiga está distendido, por ter um determinado volume de urina, ele envia sinais nervosos ao cérebro (este é nosso grande governante), que entende que precisamos urinar. O cérebro, então, por sua vez, envia sinais ao músculo esfìncter para que este relaxe e libere a saída da urina para a uretra.

Inicia-se aí a micção. A uretra é um tubo que liga a bexiga ao exterior do corpo, direcionando a urina para fora da gente.

Nos homens a uretra atravessa o pênis, coincidindo com parte do sistema reprodutor masculino, pois a ejaculação passa pelo mesmo canal da urina. Já nas mulheres, os canais urinário e reprodutor não são os mesmos: a uretra desemboca pouco acima do orifício da vagina.

Imagem coletada da internet, sem citação de autoria.


Pelo fato de as mulheres não terem pênis, sua uretra é mais curta, o que facilita a entrada de microorganismos que podem causar infecções, como bactérias e fungos. Por isso as mulheres devem ser muito mais cuidadosas na hora da higiene íntima. Cuidados simples, como a limpeza "da frente pra trás", após o xixi podem evitar infecções urinárias.

Conhecendo a importância desse sistema de limpeza do corpo, fica fácil entender porque urinar é vital. Se nossos rins não funcionam corretamente, o lixo se acumula no sangue, nos intoxicando. Por isso as pessoas com insuficiência renal precisam fazer a diálise ou hemodiálise. Esse procedimento filtra o sangue por meio de máquinas, evitando que a pessoa doente morra por excesso de resíduos prejudiciais.

Hemodiálise, quando os rins não fincionam.
Imagem coletada da internet, sem citação de autoria.



Para ajudar nosso sistema urinário a funcionar bem precisamos ingerir muita água e evitar excesso de medicamentos, principalmente os anti-inflamatórios, que podem ser prejudiciais aos rins.

Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe um comentário!


Vídeo sugerido, com imagens que facilitam o entendimento do que foi explicado aqui.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada! Que bom que gostou!

      Excluir
    2. acho que você devia colocar com cuidar do sistema urinario

      Excluir
  2. obrigada me ajudou muito

    ResponderExcluir
  3. OBRIGADA PELAS INFORMAÇÕES!! PRECISO DAR UMA AULA SOBRE FUNÇÃO DOS RINS. AGORA EU CONSIGO...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...